Olimpíadas Rio 2016: Eu como Voluntária


Oi pessoas,

como falei ontem, hoje vou contar um pouco da minha experiência como Voluntária nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Foi devido a isso que fiquei todo esse tempo longe do blog. Fiquei muito cansada e não tinha forças nem para escrever. kkk Mas, já descansei bastante e eis que estou de volta!

Segundo nosso querido dicionário Aurélio, Voluntário significa: "1. Que age espontaneamente. 2. Derivado da vontade própria; espontâneo. 3. O que se alista espontaneamente nas Forças Armadas." O último significado não é bem o caso aqui, mas essas foram as definições que o dicionário nos deu.

Enfim, ser Voluntário é isso, é se oferecer livre e espontaneamente para ajudar em alguma coisa. E foi isso que fiz nas Olimpíadas. Assim que apareceu na TV que as vagas para Voluntários estavam abertas, eu e meu marido (sim, ele também participou!), nos escrevemos. Isso foi em agosto de 2014 e desde então eu esperava ansiosamente pelo dia em que iria começar. Fiz entrevista, fiz treinamentos, participei de eventos-teste e eis que chegou o grande dia! Nem dormi direito, de tanta ansiedade. O primeiro dia foi bem tranquilo, conheci meus colegas de trabalho e com alguns já me dei bem de cara.

Sobre o meu trabalho. Eu fiz parte da equipe do VCC (Centro de Comunicação da Instalação). Eu operava um rádio, com diversos canais. Ajudando outras pessoas a resolverem problemas e situações que surgiam. Meu trabalho era em uma sala, dentro da Arena Carioca 1. Uma sala fechada, com ar condicionado, mesas e cadeiras. Posso dizer que trabalhei com um certo conforto. Isso pra mim foi tranquilo, pois eu já conhecia o trabalho e sabia como ia ser, mas tive colegas que se sentiram muito presos, isolados, pois ali não víamos mais ninguém (só nós mesmos) e nem sabíamos como estava o tempo lá fora (não tinha uma janelinha pra isso).

O trabalho em si foi muito tranquilo. De uma grande responsabilidade, pois tínhamos que prestar muita atenção naquilo que era passado a nós. Nós tínhamos acesso às três Arenas Cariocas onde aconteceram as competições de Esgrima, Taekwondo, Judô, Luta Olímpica e Basquete. Aí você fala: "Que legal! Você assistiu tudo isso!". Não. Não era bem assim. Só tínhamos acesso dentro das áreas de competição, quando nos era permitido ou quando conseguíamos algum ingresso. 

Ser Voluntário em um evento grande como esse e como toda experiência na vida, tem seu lado bom e seu lado ruim. Nada foi um mar de rosas. Tiveram dias em que a vontade de ficar em casa foi grande, que deu vontade de desistir mesmo, deixar tudo pra lá. Mas aí eu lembrava que eu assumi um compromisso há 2 anos atrás quando me inscrevi e que eu sou uma pessoa responsável. Fora os meus colegas que também precisavam de mim, afinal, trabalhamos em equipe.

Eu, assim como vários outros Voluntários, fui muito criticada. Por pessoas que nunca vi na vida (quando saía de casa com o uniforme) e por conhecidos também. Cheguei a ouvir que estava trabalhando para o Governo de graça! Vê se pode! Soube histórias de outros Voluntários que não estavam sendo bem tratados, fiquei sabendo que alguns eram tratados melhores do que os outros, alguns podiam mais, outros menos. Enfim, muitas atitudes injustas e diferentes. Cada instalação agia de uma forma. Na do Tênis, por exemplo, os Voluntários puderam assistir treinos de Serena Williams e Rafael Nadal, enquanto na minha, na Arena Carioca 1, eu não podia chegar nem perto da quadra de basquete. Coisas que acontecem né?

Mas, eu também tive momentos muito bons e prefiro que eles fiquem guardados em minha memória, ao invés dos ruins. Eu estava nas Olimpíadas. Realizei um sonho. Assisti algumas competições, com colegas, com amigos e com meu marido; fiz novas amizades e conheci pessoas de outros estados; ganhei muitos pins e voltei a fazer minha coleção; ganhei lanche de café da manhã e almoço todos os dias (que era bem gostoso por sinal); ganhei alguns brindes que só Voluntários ganharam; conheci o Parque Olímpico da Barra antes de todos os espectadores; tirei foto e vi muitos atletas; ganhei um uniforme bem bonito e desejado por muitos e principalmente, ganhei momentos únicos e inesquecíveis que vão ficar pra sempre na minha memória e na minha história.

Eu sei que pra muitos tudo isso não vale de nada. As pessoas hoje em dia são muito materialistas (eu também sou, claro!) e acabam não enxergando aquilo que realmente importa. Muitos reclamaram e ainda estão reclamando que não ganharam isso ou aquilo. Mas eu te digo, a vida não é justa e nunca será. Cabe a você decidir se vai ficar se lamentando ou se vai aproveitar os momentos bons que ela te dá. 

No fim de tudo, tive uma ótima experiência e faria tudo de novo. Ops! Vou fazer! Ainda tem as Paralimpíadas e eu estarei lá, novamente como Voluntária e feliz por participar de mais um evento grandioso e que mostra a superação das pessoas. 

Deixo vocês com algumas imagens registradas por mim desses momentos maravilhosos que vivi.


Olimpíadas Rio 2016

Compartilhe:

JOIN CONVERSATION

2 comentários:

  1. As coisas materiais se acabam mas a experiencia vivida permanece guardada no peito. Parabens por ter participado do evento. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo trabalho. No próximo texto se houver referências não esqueça do Dicionário Aulete. ☺

    ResponderExcluir

Gostou? Deixe aqui seu comentário!